Eco

O que procuro em ti, eco ou planície, que não me respondes? Porque devolves apenas a minha voz?

domingo, 10 de março de 2013

Poema #98

CAMINHOS E CONCLUSÕES

O poeta sentado
observa
o seu umbigo

Vê como
é perfeito

O poeta retira
do umbigo
o cotão
que se acumula

O poeta forma
entre o polegar
e o indicador
uma bola
com o cotão

O poeta aprecia
a sua criação

considera-a única

perfeita

manuel a. domingos - "Teorias". Coimbra: Edição do autor, 2011.

O Manuel ofereceu-me este livro, estava eu a acordar na enfermaria em Coimbra, acabada de levar a  "facada" no dia 5 de Dezermbro. Como é um pequeno livro com poemas depurados e muito condensados, foi a única coisa que consegui ler durante  essa minha experiência de combate, talvez porque o tramal me deixava desconcentrada. Se bem me lembro, foi perigoso para a costura, porque não me podia rir, nem tossir ou espirrar. É um livro que vou voltar sempre a ler, não por estar associado a essa experiência, mas porque volta e meia, os poemas surgem na minha cabeça, talvez devido a estímulos das condições agreste no dia-a-dia. Agora já posso rir, tossir e espirrar à vontade.

Sem comentários:

Enviar um comentário