Eco

O que procuro em ti, eco ou planície, que não me respondes? Porque devolves apenas a minha voz?

sábado, 9 de março de 2013

Dia-a-dia #167

E numa rua escura do Porto, uma velhota veio ter comigo e disse-me: sabe, eu durmo na rua, mas peço sempre para ir à casa de banho num café, não sou como muitos que andam por aí.
Parei de andar, confirmei que entendera acenado com a cabeça, mas de seguida,  ela virou-me as costas e prosseguiu o seu caminho, continuando a falar noutra direcção, apesar de só eu e ela estarmos naquela rua triste e fria.

Sem comentários:

Enviar um comentário