Eco

O que procuro em ti, eco ou planície, que não me respondes? Porque devolves apenas a minha voz?

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Poema #93



Terceira cena, no fim: Maria e Mathilde

Uma mulher encolhe os ombros
Uma mulher abre a boca
Uma mulher passa a mão direita por baixo
da omoplata, faz deslizar um dedo ao
longo da coluna vertebral e inclina-se para a frente
Uma mulher olha para as axilas que incham
Uma mulher tenta esconder os olhos com as pestanas
Uma mulher sonha... que é uma mulher,
uma mulher não sonha... nunca!
Uma mulher imagina
Uma mulher, imagina uma mulher!
Uma mulher ganha
Uma mulher queimada
Uma mulher tem um sapo na boca
Uma mulher pensa
Uma mulher é morta pelo noivo
Uma mulher em casa. Quem é a mulher em casa?
Uma mulher limpa o chão
Uma mulher tem um cavalo no ventre
Uma mulher dá um peido

(...)

Mathilde Monnier, La Ribot, in Gustavia

Sem comentários:

Enviar um comentário