Eco

O que procuro em ti, eco ou planície, que não me respondes? Porque devolves apenas a minha voz?

domingo, 26 de março de 2017

Dia-a-dia #263

A certa altura a minha vida tropeçou no curso de escultura e à conta disso continuo a ver as caves das Belas-Artes em sonhos. Na última vez que isso aconteceu estava na oficina de gessos a construir placas para montar uma escultura geométrica. Mas não estava a executá-las nas mesas de mármore, estavam no chão porque eram bastante grandes. Nisto levanto uma placa e em vez de ser lisa tinha marcas rectangulares em toda a superfície, como se estivesse a secar sobre um chão de tijoleira que a modelou. Olho o chão da cave na oficina, está porco para variar, mas não é feito de tijoleira. Acordei em pânico a pensar: como é que aconteceu? Agora como é que faço as superfícies lisas?

Isto a propósito do Ad Reinhardt ter afirmado que uma escultura é um objecto onde se tropeça quando se observa uma pintura, ele tem razão.

Sem comentários:

Enviar um comentário