Eco

O que procuro em ti, eco ou planície, que não me respondes? Porque devolves apenas a minha voz?

domingo, 2 de agosto de 2015

Dia-dia# 234

E voltei a sonhar que ainda estava nas Belas-Artes, desta vez queria mudar de curso para outra universidade, mas a logística era muito complicada. Encontrei um colega que trabalhava nos audiovisuais e estava a passar pelo mesmo processo, ele avisou-me do pagamento das taxas de transferência e da burocracia a tratar. Nisto vejo-me a ser entrevistada para fazer a admissão, estava tudo a correr bem, o professor fazia-me preguntas sobre o meu percurso na escultura e pintura, mas às tantas colocou-me uma pauta de música sobre a mesa e pediu-me para ler. Fiquei aflita e disse-lhe: tenho alguma formação musical, mas não sei ler assim à primeira vista, com a ajuda dum teclado poderei fazer alguma coisa. O professor era simpático, agora que me estou a lembrar, é muito parecido com um leitor que costuma estar na BN, que tem olhos verdes, cabelo desalinhado grisalho e cara de judeu. Ele respondeu-me: mas acha que alguém consegue ler isto à primeira vista? É mentira, ninguém o faz aqui nos estudos literários, e nos estudos musicais, à primeira vista ficam a perceber cerca de 20% do que lá está. 

 Fiquei então a achar que tinha hipóteses de ir para os estudos literários. Seguia-se uma sessão fotográfica para identificação e à minha frente estavam duas raparigas, formávamos uma fila à entrada. Lá dentro deparei-me com um estúdio onde estava tudo preparado para a performance ser registada a rigor, a primeira rapariga sobe ao palco e começa a despir a camisola. Acordei em pânico a pensar: mas é assim que se consegue mudar de curso?

Sem comentários:

Enviar um comentário