Eco

O que procuro em ti, eco ou planície, que não me respondes? Porque devolves apenas a minha voz?

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Dia-a-dia #153

E ontem estive de volta de um texto teórico que há seis meses tinha avisado a minha professora de Letras que não tinha entendido, mas como era importante, mais à frente ia analizar para a tese. Voltei a ler e nada. Voltei a ler e nada. Comecei a tirar excertos e a comentar. A pouco e pouco foi-se fazendo algumas luzes. Voltei a ler e já estava a entender qualquer coisa. E para hoje deixei a parte mais importante, mas vou tentar preceber aplicando aquilo a exemplos práticos, sim, porque se calhar sou básica, entendo melhor ideias quando tenho coisas palpáveis em frente do nariz, acho que vai ser o caminho. Depois, mãos à obra, com os exemplos vou ter de escrever um texto sobre ideias complexas de forma simples. É a única maneira que consigo fazer, partindo de exemplos práticos, ou seja, dando forma palpável aquilo. Isto de investigar é duro, ontem já sentia por vezes que os miolos estavam encriptados.

Sem comentários:

Enviar um comentário