O que procuro em ti, eco ou planície, que não me respondes? Porque devolves apenas a minha voz?

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Poema #26

TELEMÓVEL

Olá amor… não não disse estupor!
Passou bem a sua tarde?
Não disse que chegaste tarde.
Vou jogar ténis, mas estarei aí
a tempo de vermos juntinhos
a telenovela!
Não queres ser cindarela?
Oh filha por amor de deus!
Não pronuncio o nome de Deus
em quê? Cabrão?
Cabrão era o filho da puta
do teu pai. Ouviste?

Em vão.

Jorge Aguiar Oliveira in “Homens sem soutien”, Edição de autor, Lisboa 2002


2 comentários:

  1. Em boa hora, Maria Joao: cadë o Jorge?

    ResponderEliminar
  2. Olá VV, ainda não estive com o Jorge desde que vim de férias.

    ResponderEliminar